Páginas

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Faroeste Caboclo vai virar filme

Eu não sou fã do estilo musical de Legião Urbana. Por ser Cristã, meus valores e ideais são outros. Apesar de não gostar, não posso deixar de considerar a genialidade de Renato Russo em compôr canções, mesmo que essas sejam canções tristes, pois retratam a realidade como ela é. Apesar de não ser fã, tenho que admitir que ele era realmente um poeta. Lembro que eu tinha 9 anos quando me dei conta de que a banda existia. Por coincidência escutei a música Eduardo e Mônica do disco de vinil da minha tia, eu era uma menina e ainda ingênua em muitas coisas, chorei, porque sabia que um dia iria crescer e passar por tudo aquilo que eles passaram, casaria e teria filhos etc e aquilo tudo me soava tão estranho. Acho que eu não queria crescer.
As músicas de Renato Russo são descrições da realidade escritas em forma de poesia e apresentadas em forma de música. Pena que, ele apesar de ser esse gênio que era, não o foi para resguardar a própria vida, tendo contraído o vírus da AIDS e vindo à falecer. Eu não lembrava mais do Faroeste Caboclo, até pela falta de hábito em ouvir Legião Urbana, mas resolvi procurar um video no Youtube e ouvir a música novamente. Acredito que o filme será emocionante. Eu sou uma chorona pra filmes e o cinema brasileiro adora histórias dramáticas. Imagina essa canção em forma de filme:


Já estou preparando o lenço.



Para quem quiser acompanhar com a letra: http://letras.terra.com.br/legiao-urbana/22492/

3 comentários:

Gisley Scott disse...

Realmente ele foi poeta.Gosto muito da música chamada Vento do Litoral e da música 29(que fala de amadurecimento).

Vamos ver no que o filme vai dá :)

Bjos

Angel disse...

Também não sou uma fã exatamente, mas não se pode negar as suas qualidades.
E como você, querida amiga, sou uma chorona para filmes, músicas e sabe lá mais Deus o quê ... vamos esperar pelo filme.
Beijo meu.
Angel.

Luma Rosa disse...

Conheci o Legião através de um ex-namorado que me deu de presente o "Por Enquanto 1984-1995" - discos remasterizados no estúdios Abbey Road Studios - o mesmo que os Beatles gravavam em Londres. Continha músicas do Legião que foram gravadas até o ano de 1993 e vinham dentro de uma lata, junto com um livro escrito por Hermano Vianna, irmão do Herbert Vianna (Paralamas). Esse meu ex foi um dos integrantes do Paralamas que deixou a banda para fazer faculdade de medicina - eles ainda não eram famosos, era coisa de quarteirão em Brasília - foi quando o conheci! Apesar de achar as letras do Legião interessantes, não gosto por serem depressivas - Se fosse para escolher um disco, escolheria o primeiro, que é extremamente politizado - já o Renato Russo, acho ele muito chato! Me desculpe os fãs! Mas como dizia Jimmi Hendrix "Quem morre está feito para o resto da vida"
Boa semana! Beijus,