Páginas

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Saga para aprender holandês-parte II

Cumprindo o prometido, dando continuidade ao post.

Uma das dificuldades que vc irá encontrar na hora de aprender holandês é a falta de contato com os holandeses.  Se vc for casada com holandês, teu marido poderá te ajudar a práticar, mas não é a mesma coisa que práticar com um estranho. Também seria bom  se houvesse alguém que conversasse com ele e vc ficasse nos bastidores ouvindo e absorvendo. Vários métodos de aprendizagem, dizem que o aprender vem pelo ouvir e de fato, das várias vezes que ficava horas no trem até chegar ao meu destino final e sentavam aquelas meninas batendo o maior papo do meu lado, era como se eu me transportasse para o mundo delas e as palavras se organizassem perfeitamente na minha mente, não só as palavras, frases e pronúncia também.  Depois eu virava um papagaio, repetindo os sons e palavras. Infelizmente isso só durava algumas horas ou minutos, se isso fosse o dia todo por um certo período, meu aprendizado teria sido bem mais rápido.
Como não temos essa "facilidade" o jeito é nós virarmos nos 30. Uma das coisas que aconselho pra quem está aprendendo é ouvir as notícias da rádio, ver muita televisão e tentar ler as notícias do dia. Começa lendo as curtinhas e aos poucos vai lendo as mais compridas. 
Aprender holandês vai depender mais de vc do que dos cursos que vc faz, eu realmente fiz vários cursos, mas fiz não porque ainda não tinha aprendido o que tinha sido ensinado, e sim porque queria estar em contato, praticando. Não me arrependo, mas hoje vejo que eles não eram necessários, principalmente o último que fiz, apesar dele ter sido o melhor de todos. Percebi que o mais importante é realmente estar em contato com os holandeses e não com outros imigrantes, ficar em contato com outros estrangeiros não ajuda muito, porque eles falam como vc, com aquela limitação.
Outra coisa é que muitas pessoas quando estão aprendendo holandês, sentem uma angústia ao falar. Eu senti essa angústia, e piora quando as pessoas reparam na tua fala. 
Durante um dos cursos que fiz, um acontecimento me deixou chateada. Nunca nenhum holandês reparou na minha língua ou fez alguma crítica,  ao contrário de uma outra imigrante, que estudou comigo que quis me inferiorizar, reparando na minha pronúncia. Nós nos encontramos na máquina de café e eu a cumprimentei toda sorridente, ela olhou pra mim bem sério e disse: Que não entendia nada do que eu dizia. A cena foi tão ridícula que olhei pra ela tipo: Han?  Que tipo de pessoa se acha tão foda pra reparar no erro do outro e ainda apontar? vindo de alguém que eu nem sequer sabia o nome e não tinha nenhuma intimidade? garanto que ela não tava com essa bola toda não, porque o mesmo comentário que ela fez pra mim eu poderia ter feito pra ela, pois eu também não entendia nada do que ela dizia, só que a diferença é que além de eu ser educada, eu não perdia meu tempo reparando na língua de ninguém, porque as pessoas tem plena consciência de onde elas precisam melhorar. Na hora eu não levei a mal, mas depois pensando, aquilo me feriu um pouco, eu estava lutando pra aprender e nada pior do que um comentário destrutivo. Mas como Deus é justiça, a professora por duas vezes arrasou com a pronúncia dela, dentro da sala, na frente de todo mundo e NUNCA fez nenhum comentário à respeito da minha pronúncia, a única coisa que ela me perguntou é se eu tinha problema com R na minha língua, pois ela via que o meu problema com o R era outro, e de fato era por causa da minha mandíbula que eu ainda não tinha operado nessa época.  Agora vcs entendem os meus comentários do outro post. É muito ruim ter que lhe dar com pessoas que tentam descontar suas frutrações nos outros, de pessoas negativas eu quero distância, já não tenho saco pra esses tipos.
Depois que venci a barreira da angústia na fala, encontrei uma turca que estudou comigo, e descobri que ela tem o mesmo problema que eu tinha, só que bem pior, pois já mora aqui há quase 10 anos e não fala quase nada ou trava na hora de falar. O problema é que muitas vezes queremos falar perfeito, só que para alguns é quase impossível, essa mania de perfeição é que mata. Eu pude ajudá-la com a minha experiência. Agora imagina se eu falasse pra ela que deveria melhorar, que ela falava muito mal holandês, que a gramática dela era toda errada, que eu não entendia nada do que ela dizia, e etc. Ela já é assim sem ninguém falar nada, imagina se eu falasse, ela ficaria muda. Pessoas que fazem esses tipos de comentários são totalmente sem-tato, sem-noção e sem educação, e sinceramente pra mim está na cara que a intenção é atingir. Quando a pessoa é arrogante e acha que fala muito, mesmo sendo o contrário, até acho um pouco aplicável, mas de maneira sútil, para que a pessoa venha entender e enxergar o erro, não para diminuir. Não é o caso da turca, e nunca foi o meu e mesmo assim isso não caberia a mim nem a nenhum outro imigrante, é muita petulância de uma imigrante ficar corrigindo uma língua que não é a sua, com excessão dàqueles que se formaram como professores da língua holandesa. Se temos amizade com a pessoa é diferente, podemos de uma maneira extrovertida, corrigir, brincar e etc, agora quando não temos intimidade nenhuma, não. Até no português, acho ridículo pessoas que ficam corrigindo  as outras, principalmente quando fazem isso públicamente (FB, orkut e etc), total falta de educação. Quer corrigir alguém? fale em particular com a pessoa e seja delicado. Descobri que a turca também tem maior raiva da tal que tentou me inferiorizar, porque a pessoa sem-noção perguntou dela: Se ela usava hoofddoekje (aqueles lenços que as mulçumanas usam na cabeça) porque era careca. Sintam o drama. Ninguém sabe porque as mulçumanas usam o lenço na cabeça! mistério! -_-. Eu poderia ter lavado a roupa-suja na época, mas não sou eu quem vou mudar as pessoas, decidi ignorar, pois esse é o tipo de aprendizado que só a vida ensina.
E resumindo: A pior barreira na hora de aprender uma língua é o medo de falar. Sempre teremos limitações, sempre cometeremos um ou mais erros, sempre teremos sotaque, salvo os que nasceram e se criaram no país da língua falada. Por isso abram a boca e falem, não tenham medo, não tenham vergonha.

Dos cursos que eu fiz e aconselho:

Voolksuniversiteit:
Duração: 1 mês.
Foram 4 aulas de 1 hora e meia  cada, muito pouco, só deu pra aprender à formar as frases mais básicas.
São cursos bons para quem está no zero. Fiquei sabendo que eles já tem níveis mais avançados.

Leiden Universiteit:
Duração: 6 meses
http://www.hum.leidenuniv.nl/talencentrum/
Intensivo, 4 dias por semana de 9 as 12:00
Fiz os níveis 1 e 2, 3 e 4. Excelente. Só que super puxado, tem que ter muito fôlego, pois por ser um curso oferecido pela universidade, eles exigem muito dos alunos, também temos que aprender muito num curto espaço de tempo, dois meses e meio para cada 2 níveis.
Eu era uma das melhores na sala, até hoje o povo pensa que eu sou master em holandês XD, nessa época eu ainda tinha um ano de Holanda,  então tudo fluia perfeitamente e o início é sempre muito rápido. Depois decaí um pouco, pois o cansaço tomou conta de mim. Também percebo que minha energia muda aqui na Holanda. 

Schakeljaar Albeda College Rotterdam:
Duração: 1 ano.
Para quem pretende fazer um HBO.
http://www.albeda.nl/deelnemer/opleidingengids_studiedetail.cfm?studie=1156

4 vezes na semana de 8:30 as 12:00, fora as matérias específicas (matemática, biologia e etc, dependendo do curso que será seguido no HBO) que são em outros horários.
Eu não dava nada pelo Albeda, porque além de fazer meu inburgering cursos lá, o pessoal falava mal. Mas depois que entrei no Schakeljaar, a coisa mudou de figura.  Não deixa a desejar nenhum curso oferecido pelas universidades, é menos intensivo já que temos um ano de curso para nos prepararmos para um HBO, diferentemente das universidades que te dão dois meses e meio para cada dois níveis. Como eu não fiz os níveis 5 e 6 em Leiden, aprendi a parte mais avançada de holandês lá. Gostei muito e na minha opinião foi um dos melhores cursos que fiz, bem planejado e organizado. Eles separam os grupos por níveis e tem todo um método de preparação para o NT2 II. Quase todos os alunos da minha turma passaram no NT2 II, senão foi de primeira pelo menos foi de segunda. Confesso que relaxei muito nessa época, devido ao meu desgaste em Leiden, já estava no fim das minhas forças, só ia as aulas e ainda faltava muito, mas foi um bom curso, onde fiz amizades que mantenho até hoje e lógico, passei no NT2 II, com especial atenção para leitura, que foi a minha melhor nota.

Já perceberam que nem falei do inburgering cursos? também era no Albeda, como eu escolhi estudar a noite e os cursos da noite são horríveis, faltava muito!!!! mas fiz grandes amigos lá também. Mesmo com tantas faltas,  passei na prova com quase 100% de acerto, 3 meses depois recebi 307 euros na minha conta, que é um dinheiro que vc recebe quando passa na prova =)

Se for colocar todos esses cursos no papel $ incluindo as viagens, sairia muito caro pra muita gente. E sei que nem todo mundo pode bancar, com essa crise então a coisa ficou pior. E o momento também é delicado para os estrangeiros. Estão dificultando cada vez mais.
Por isso que eu digo que a Holanda já não está mais para os estrangeiros.

Só esclarecendo que fazer todos esses cursos foi opção Minha, não significa dizer que vc só vai aprender se fizer também. Fiz para estar em contato e lógico que sempre aprendemos mais alguma coisa. Estou falando isso porque pode aparecer algum espírito de porco dizendo: "Eu não precisei fazer nenhum curso e aprendi". Eu também sobreviveria muito bem sem todos eles, mas eu quis.

Esses espíritos de porco que na maioria das vezes, não são nada e não tem nada para se exibir e inflar seu ego, buscam na língua holandesa(só porque "aprenderam"), uma maneira de tapar essa brecha e se superiorizar diante das pessoas que tem dificuldade ou que não conseguem aprender. Se vc mora aqui e ainda não topou esse tipo, talvez ainda tenha o azar de topar, se topar, ignore.

Bons estudos para quem ainda está na luta.

8 comentários:

S. W disse...

Rydi eu to no comecinho ainda. Comecei no curso de holandês em Setembro, ainda tem chão até o staatsexamen em janeiro mas eu gosto bastante do curso da prefeitura dado pela Sagenn. Eu acredito que depende muito da pessoa também, não só de esforço pessoal, mas também da facildade com o aprendizado de idiomas. Eu não tenho muito dom não, tenho que estudar bastante pra entrar algo nessa vaixola, mas depois do curso em janeiro eu vou fazer o proximo para o NT2 II, mas ai será por minha própria conta. Até em Den Haag onde o curso era gratuito agora não é mais, sai super caro.

beijos e parabéns por todo o aprendizado.

Rydi disse...

Oi Si,

Realmente depende muito da pessoa, por isso fiz o primeiro post explicando meu ponto de vista de quem tem mais facilidade e quem não tem. O problema do meu e da maioria dos inburgerings cursos é que eles não ensinam gramática, ou ensinam de maneira muito lenta e incompleta. Tem gente que dá sorte de pegar um inburgering bom e preparatório para NT2 II, mas não é regra, a grande maioria é ruim. Quando eu estava em Leiden, já estava aprendendo zou, zal e etc, enquanto que no inburgering o povo ainda estava no het, de e etc. Por isso que faltava muito às aulas, só ia porque tinha que cumprir minha obrigação com prefeitura, já que foi dinheiro investido em mim e eu só podia parar quando cumprisse o trajeto que o albeda fez pra mim e fizesse a prova, pois eles precisavam receber o dinheiro deles, e não me deixariam livre antes disso.

Boa sorte nos seus estudos :)

Gisley Scott disse...

Rydi, se alguém viesse me inferiorizar, estrangeiro que nem e me dissesse que não conseguia me entender, eu daria um bom: well, I guess your dutch sucks! Na boa :P!!!

Tem gente que é assim, acha que arrasa!Eu escrevi um post sobre um coreano do norte que vinha pro curso de inglês pra ficar corrigindo os outros.Ai que eu botei ele pra correr, hahahaha :)!

Rydi disse...

Pois é Gi,

Na hora não tive reação, tipo, levei um susto e acabei concordando com ela que, eu realmente precisava melhorar, a dor veio depois e o fato já tinha se passado.

Quando acontece essas coisas comigo, nunca tenho uma reação imediata, fico meio boba.

bjs

Luana disse...

Essas aulas de línguas dariam um livro! serio...

Luma Rosa disse...

Você encontrou uma mocinha no meio do caminho que estava morrendo de inveja de você! (rs*) Por que quem não constrói e tenta destruir, faz porque tem dentro do coração pensamentos ruins. Se você nunca fez nada para a tal e ela foi tão deselegante, é porque você a incomoda! Gosto de ver a sua força de vontade e o modo como incentiva as pessoas. Sem medo de ser feliz!! Beijus,

Anônimo disse...

obrigada pelas dicas

Anônimo disse...

Prezados Senhores(as),

Solicito; com toda educação, o envio de um e-mail específico ao qual eu possa entrar em contato alguns meses a frente.

Obrigado pela atenção dispensada à esta mensagem.

Fernando Tavares
ww.tavarestraducoes.com.br

cadmet@bol.com.br